top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Economia de Minas Gerais Mantém Crescimento e Supera Média Nacional no Primeiro Trimestre de 2024

A economia de Minas Gerais continuou seu crescimento robusto em 2024, mantendo o ritmo com o qual encerrou o ano anterior. No primeiro trimestre, o estado apresentou um crescimento real de 2,9% em sua geração de riquezas em comparação ao mesmo período de 2023, superando a média nacional de 2,5%. Esse desempenho é resultado dos esforços do Governo de Minas para incentivar o desenvolvimento econômico, destacando-se especialmente a expansão da indústria.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (1/7) pela Fundação João Pinheiro (FJP). No primeiro trimestre de 2024, o PIB nominal de Minas Gerais alcançou R$ 253,8 bilhões, em comparação aos R$ 240,8 bilhões no mesmo período do ano passado. Com isso, o estado contribuiu com 9,4% da riqueza produzida no Brasil no período, acima dos 9,3% registrados no primeiro trimestre de 2023.

Os principais setores da economia mineira contribuíram da seguinte forma: agropecuária com R$ 15,3 bilhões, indústria com R$ 66,6 bilhões e serviços com R$ 141,2 bilhões. Além disso, os impostos indiretos sobre produtos líquidos de subsídios somaram R$ 30,7 bilhões.

Comparando com o último trimestre de 2023, o PIB de Minas Gerais avançou 0,5%. No acumulado dos últimos quatro trimestres, houve um crescimento de 2,9%, com contribuições positivas da agropecuária (10,5%), da indústria (2,7%) e dos serviços (2,2%).

Desinflação e Queda nos Juros Impulsionam a Indústria
A indústria mineira, que representa mais de um quarto do PIB estadual, foi o principal motor do crescimento no início de 2024, com um aumento de 3,9%. Este desempenho foi impulsionado por todos os segmentos industriais, beneficiados por uma menor inflação, queda nos juros e condições climáticas favoráveis.

Os setores de maior destaque foram a indústria extrativa (7,2%) e a de utilidades públicas (10,4%), seguidos pela construção (4,4%) e pela transformação (1,0%). Na indústria extrativa, a produção e exportação de minério de ferro tiveram um papel predominante. No setor de utilidades públicas, a geração de eletricidade foi o principal destaque.

O investimento em energia limpa é um pilar da gestão do governador Romeu Zema. Com políticas públicas como o Projeto Sol de Minas, o estado ultrapassou a marca de 8 GW de geração solar fotovoltaica, um aumento significativo em comparação aos seis anos anteriores.

“A transição energética é uma preocupação e uma meta do Governo de Minas. O incentivo à atração de investimentos para produção de uma energia limpa e sustentável é fundamental não apenas pelo nosso projeto de desenvolvimento responsável, mas também para a melhoria na qualidade de vida da população por meio dos empregos criados”, afirmou o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio.

Setor de Serviços Cresce Enquanto Agropecuária Recua
O setor de serviços, que engloba comércio e transportes, se beneficiou do bom desempenho da indústria estadual e cresceu 2,5% no primeiro trimestre. Em contrapartida, a agropecuária recuou 4,6% em comparação aos primeiros três meses de 2023.

“Este ano foi relativamente seco, o que é ruim para a pecuária e a agricultura, mas bom para a mineração. Quando temos um janeiro e fevereiro muito chuvosos, a mineração sofre bastante. Neste ano, o clima seco contribuiu para o avanço da indústria extrativa”, explicou Raimundo de Sousa, coordenador de Contas Regionais da FJP.

Recuperação nos Setores de Laticínios e Metalurgia
A redução dos juros e a menor pressão da inflação aumentaram o consumo, beneficiando outras indústrias, como a de transformação. Thiago Almeida, pesquisador da Coordenação de Contas Regionais da FJP, destacou a recuperação na produção de alimentos, especialmente na indústria de laticínios e no segmento da metalurgia, que vinha de dois trimestres de resultados negativos e foi positivamente influenciado pela construção civil.
Fonte: Agencia Minas

Hozzászólások


bottom of page