top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

O requeijão moreno recebeu reconhecimento como queijo artesanal em Minas Gerais

Divulgação

O governo estadual visando promover sua valorização, estimular a geração de empregos e renda nas áreas de produção. Integrante da gastronomia local, o requeijão agora faz parte dos queijos artesanais do estado, segundo uma resolução publicada recentemente.

O governo afirma que essa medida busca incentivar a proteção de seu método de produção e sua sustentabilidade, além de promover emprego e renda nas regiões produtoras. O tratamento tributário do requeijão seguirá as normas padrão para produtos lácteos, sem diferenciação. Quanto ao selo de qualidade, fica a critério dos produtores buscar regularização junto aos órgãos competentes.

Agora, o próximo passo é a regulamentação pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), estabelecendo normas para produção e comercialização em áreas definidas. A produção de requeijão tem raízes profundas em várias regiões de Minas, transmitida ao longo das gerações.

O Vale do Mucuri e municípios como Porteirinha são centros de produção significativos, com pelo menos 54 produtores identificados pela Emater-MG. O governo estadual também considera outras regiões como potenciais produtoras tradicionais, sujeitas a análise durante estudos para caracterização da iguaria.

Fonte: O Tempo

Comments


bottom of page