top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Queda de rendimento no segundo turno celeste fez Cruzeiro oscilar no Brasileiro



Reprodução


Ainda que a fase final do Cruzeiro tenha deixado o seu torcedor temeroso quanto a uma possível queda para a segunda divisão, o segundo turno da Raposa no Brasileirão não foi tão diferente da primeira metade da competição.
O início surpreendente de Brasileiro, ainda sob o comando do português Pepa, fez o Cruzeiro alcançar a quarta colocação. Mas a sequência negativa fez o time celeste despencar na tabela de classificação.
Tamanha foi a queda de produção da Raposa que o time estrelado encerrou a primeira metade do Brasileiro com 42,1% de aproveitamento. No segundo turno o Cruzeiro contou com três técnicos. Além de Pepa, demitido após a derrota para o Grêmio, em Porto Alegre, o clube estrelado ainda contou com Zé Ricardo e Paulo Autuori.
A consequência de tantas trocas foi uma queda ainda maior no aproveitamento do segundo turno. O Cruzeiro fechou a segunda metade do Brasileirão com 40,4%. Em termos comparativos, a Raposa teve uma queda de quase 2 pontos percentuais num comparativo entre os turnos.
A maior evolução nesse sentido foi do Vasco, que só conseguiu escapar do rebaixamento na última rodada, quando bateu o Red Bull Bragantino, no São Januário. O time da Colina apresentou um desempenho 22,8 pontos percentuais melhor na segunda metade do campeonato.
Por outro lado, o Botafogo foi o clube que teve a maior queda de desempenho. Com incríveis 82,5% no primeiro turno, o Fogão viu sua vantagem na ponta da tabela despencar. A comparação entre os turnos foi de 52,6 pontos percentuais negativos.
Se considerarmos apenas o segundo turno, o Botafogo seria um dos rebaixados para a Série B do Brasileiro. O alvinegro carioca fez a quarta pior campanha na segunda metade da competição. O Botafogo teve apenas 29,8% de aproveitamento no segundo turno.
Fonte: O Tempo

Comments


bottom of page