top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Lula Critica Prolongamento da Greve dos Docentes Federais


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou descontentamento com a continuidade da greve dos professores e técnicos das universidades e institutos federais, que já dura desde o dia 15 de abril. Em uma reunião pública com reitores no Palácio do Planalto, Lula afirmou que o montante negociado com o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) é “não recusável”.

Montante Oferecido pelo Governo
Lula destacou que Esther Dweck, ministra do MGI, disponibilizou recursos significativos para recompor os salários dos docentes e servidores. Ele ressaltou que prolongar a greve prejudica os alunos que estão aguardando para retornar às aulas.

Recursos Adicionais para Educação
Durante a reunião, Lula anunciou um investimento de R$ 5,5 bilhões do Ministério da Educação (MEC) para obras e custeio do ensino técnico e superior. Além disso, será construída uma série de novas instalações: dez novos campi universitários e oito novos hospitais universitários federais.

Apelo para o Fim da Greve
Lula pediu que as lideranças sindicais demonstrem coragem para encerrar a greve. Ele argumentou que manter a greve por pequenos percentuais de aumento salarial não justifica o prolongamento do movimento. Como ex-líder sindical, ele compartilhou sua experiência sobre a importância de saber quando negociar e tomar decisões difíceis.

Reivindicações dos Docentes e Servidores
Os professores e servidores de cerca de 60 universidades federais e mais de 39 institutos federais de ensino estão em greve, pedindo a recomposição dos salários em 4,5% ainda este ano. A reitora da Universidade de Brasília, Márcia Abrahão, destacou que as remunerações estão muito defasadas, especialmente quando comparadas a outras carreiras que receberam reajustes recentemente.

Impactos da Greve
Elias Monteiro, reitor do Instituto Federal Goiano, enfatizou que a greve está aumentando a evasão escolar e comprometendo o calendário acadêmico. Ele pediu que as negociações avancem para que as instituições possam retomar suas atividades normais o mais rápido possível.

Proposta do Governo
Em 15 de maio, o governo apresentou uma proposta final que inclui aumentos de 13,3% a 31% até 2026, com os reajustes começando em 2025. A proposta também considera um reajuste linear de 9% já concedido ao funcionalismo federal em 2023, totalizando um aumento entre 23% e 43% no acumulado de quatro anos.

Próximos Passos
Novas rodadas de negociação estão previstas, com os servidores técnico-administrativos se reunindo com o governo no dia 11 de junho e os professores federais no dia 14 de junho. O MGI ressaltou que as pautas em discussão não serão remuneratórias.

Lula reiterou que é fundamental que as lideranças sindicais considerem a oferta do governo e encerrem a greve, permitindo que as universidades e institutos federais voltem à normalidade.

Fonte: Agenci Brasil

Comments


bottom of page