top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Porto Alegre concentra quase 30% das suspeitas de leptospirose do Rio Grande do Sul

O município de Porto Alegre concentra 28,7% das suspeitas de leptospirose em todo o Rio Grande do Sul, segundo dados da Secretaria de Saúde gaúcha. São 3.772 registros no estado, dos quais 1.082 estão na capital. Do total de investigações, 242 se confirmaram – 6,4% das notificações anotadas. A leptospirose é uma doença infecciosa causada por uma bactéria, a leptospira, encontrada na urina contaminada de roedores, principalmente ratos. O Rio Grande do Sul está em situação de agravo em relação à doença devido às enchentes que atingem o estado desde o fim de abril.
Além da capital gaúcha, 21 municípios têm suspeitas de leptospirose. Atrás de Porto Alegre, Canoas conta 294 notificações (7,8%), seguida de São Leopoldo (228 – 6%) e Sapucaia do Sul (189 – 5%). Os números foram atualizados pela secretaria na quinta-feira (6).

Dados divulgados às 9h de quarta-feira (5) pela Defesa Civil estadual apontam que 172 pessoas morreram em decorrência da tragédia ambiental e 41 estão desaparecidas. Outras 30.442 estão em abrigos e 572.781, desalojadas. Ao todo, 2,3 milhões de pessoas foram afetadas pelas chuvas e enchentes, em 476 municípios – 95% do estado.

fonte:r7

Comments


bottom of page