top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Idosa que teve casa alagada e salvou cachorro ganha mais de R$ 100 mil em vaquinha em menos de 1 dia

Simone de Morais, filha da idosa, conta que água invadiu a casa em questão de minutos na noite de sábado (13). Família conseguiu salvar cachorrinho colocando-o em cima de uma estante. Além do cachorro, apenas televisão e fogão resistiram aos estragos.


Dona Norma, de 70 anos, salvou o cachorro colocando-o em uma estante durante enchente no Rio — Foto: Arquivo pessoal

A idosa de 70 anos que teve a casa alagada e perdeu tudo em Jardim América, Zona Norte do Rio, no último temporal, ganhou uma vaquinha da página Razões Para Acreditar. A campanha foi divulgada na manhã desta quarta-feira (17) no Instagram e, em menos de um dia, arrecadou mais de R$ 100 mil.

Ao receber a notícia, a família ficou muito emocionada.

"Minha mãe quase infartou. Ela está triste por ter perdido tudo, mas feliz que agora vai poder comprar as coisas. Eu estou até chorando", conta Simone de Morais, filha da dona Norma.

"Dependendo do valor arrecadado, vamos tentar comprar um local para a minha mãe, mas ela não quer sair daqui. Por ela, constrói aqui em cima para a gente", afirma ela.

O intuito da idosa é construir um sobrado no local, para ela e as filhas.

Mesmo com casa alagada, idosa salva cachorro


A dona Norma de Morais, aos 70 anos, viu a casa que lutou para construir ser alagada por uma enchente na Rua Flávio da Silveira, em Jardim América, na Zona Norte do Rio. O temporal de sábado (13) fez o Rio Acari transbordar, e a família não teve nem tempo para tentar salvar algo.

Depois da perda, a aposentada tem dormido no sofá, que ficou completamente encharcado, pois perdeu todos os móveis.

“Estamos tentando arrumar um colchão para ela porque o que tinha se perdeu. Ela está dormindo no sofá por enquanto. Ainda está molhado, mas forramos muitos panos para ela ficar em cima, porque é melhor do que minha mãe ficar no chão”, explica a filha Simone de Morais.

Norma de Morais dentro de casa durante as chuvas em Jardim América — Foto: Arquivo pessoal

Simone, a mãe e a irmã moram no mesmo quintal. Elas estavam assistindo televisão quando a água começou a invadir as casas. O local que elas moram é próximo ao Rio Acari, que transbordou.

“Ela tirou um cochilo, ao levantar para ir ao banheiro e a água já estava na canela dela. Ela começou a gritar e viemos correndo. Foi questão de minutos, só conseguimos pegar os documentos. É de partir o coração, tudo que temos se perder assim, em segundos”, relembra.

“O cachorrinho dela veio nadando no meio da enchente. Ela pegou, colocou panos para ele na estante e ele ficou lá. A estante, inclusive, está de pé ainda nem sabemos como, está apenas escorada na parede”, completa.

Simone conta que ninguém na casa conseguiu dormir durante a madrugada de sábado para domingo. Aflitas, tristes e com medo. “Dormimos no parapeito da janela já era de manhã”.

Apenas a televisão, o fogão, os documentos e o cachorro saíram sem danos. As roupas, conforme conta Simone, são quase todas impossíveis de lavar.

“Está tudo com um cheiro muito ruim, forte. Estamos com a única roupa que estava no varal porque tinha lavado naquele dia”, afirma a mulher.

“Só conseguimos comer porque o vizinho trouxe uma comida e água já no fim de domingo. As compras se perderam na água. Hoje eu consegui dois quilos de arroz e um frango, é isso que vamos comer”, completa ela.

Idosa faz café dentro de casa cheia pela enchente em Jardim América — Foto: Arquivo pessoal

Uma foto tirada da idosa mostra ela passando um café durante a cheia. Ela acendeu o fogão com um fósforo, para não usar a rede elétrica, e fez uma garrafa de café para tomar enquanto esperava.

“Minha mãe não fica sem o cafezinho dela. Agora é forças para recomeçar. Como mamãe diz ‘o importante é que temos saúde’”, destaca Simone.

FONTE:G1

Comments


bottom of page